Jurando a Bandeira

E aí meu querido povo desculturado. Mentira, vocês não são queridos, suas mães não lhes amam e o pai de vocês (se você o chegou a conhecer) fugiu de casa para não lhes criarem.
Maldoso? Sim.

Enfim, vou falar para vocês da minha aventura no dia de jurar a bandeira. 7 horas da manhã,  pronto para ir ao local marcado para fazer a minha obrigação com a pátria. Chega minha carona, Guizon e seu pai (Sim, aquele mesmo que postava no blog, mas parou por razões técnicas preguiça), entrei no carro e fomos pegar um japonego chamado Rui, pois era caminho. Na estrada, pai de Guizon demonstra porque ninguém gosta de pegar carona com ele… 160km/h costurando e fazendo drift (já ouvi isso em algum lugar) por no mínimo 30 segundos. Chegamos vivos ao ponto marcado. Pai de Guizon vai embora.
      Nos direcionamos para as filas… São 26 filas, organizadas alfabeticamente (é o oposto de analfabéticamente, que seria a fileira de vocês), encontro a fileira J, ou seja… Como as fileiras eram de A a Z da esquerda para a direita, então a I seria a da esquerda (lembra? g, h, I, j). Sim, meu nome é Igor… Enfim, fui a fileira da esquerda e pergunto se era letra I… Me respondem “Essa é a G”. Eu “i.i” (quem não entendeu, é um rostinho). Como assim? Onde foi parar a fileira I? Depois de uns minutos procurando, encontro uma fila beem pequetitica, de 10 pessoas no máximo… entre a G e a J.  Era a I, do lado dela havia a H que tinha 12 pessoas.
      Depois de muita enrolação fomos jurar a bandeira. Entramos no ginásio de esportes, sentamos nas arquibancadas e talz. Na hora do ensaio de como era que se devia jurar a bandeira, tinha uma parte mais ou menos assim “…Prometo sempre estar pronto para cumprir, inclusivamente, o serviço militar…” Nessa hora, o indivíduo do meu lado (muito feio por sinal) repetia da seguinte forma : “POMETO SEMPE ISTÁ PRONTU PRA CUMPRI, EXCRUSIVAMETI, U SEVISSU MILITÁ”. Com certeza, 99% do povo que estava lá, repetiu da mesma forma. Havia muita gente feia, cara. Com certeza 85% deles vão ser os futuros pedreiros, motoboys, office boys e etc  do país. Ao menos para isso eles contribuem conosco =D.
    Treze pessoas seriam escolhidas para representar a todos para receber o documento da dispensa. Logo, pensei eu : “Cara, olha meu nome, nunca escolheriam meu nome… Ele é impronunciável”. Até cheguei a falar pros analfas do meu lado… Disse : “Cara, olha meu nome aqui no papel, impossível me chamarem”… E ele “Eu não sei ler”… Eu ” Tá… –‘, deixa pra lá”. Nessa hora, ouço dizer no microfone : “Igor HAruti Haruma”… De boa, não sei se fiquei mais puto com pronunciarem errado ou por ser chamado. Como assim me chamaram? Eles devem olhar os nomes e falar : “Aaaah é esse mesmo!! Mó diferente! Esse daqui vai”. Entre umas mil pessoas (na teoria, dois terços ainda eram meio neanderthais) Eu estou andando muito com o Caval –‘. Fucking Azar!

Bom, para resumir a parte do hino nacional porque o Post já está grande demais, vou deixar um vídeo que resume como foi. 

Garotas, me amem, me liguem, eu sou muito romântico =D

3 Respostas to “Jurando a Bandeira”

  1. O azar do Caval é tão poderoso que esta passando para todos xP

  2. TRUFA MALUCA Says:

    Nossa até parece que ninguém sabe que seu nome verdadeiro é
    China Haruki Harailhama
    Será que é tão difícil assim?

  3. O que adianta esse povo jurar à bandeira se não sabem nem o que ela significa e representa! ù.ú

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: